DJ’s da Casa

União & Capricho

A residência que Afonso Simões e Rita Só mantêm na Casa ajuda a mapear uma geografia a que Lisboa se vai habituando cada vez mais: África, o continente, mas também os seus postos avançados em todas as zonas adoptivas de músicos e editoras em busca de melhores tempos. O Afonso, claro, é baterista de Gala Drop e ele próprio uma instituição na cidade de Lisboa: músico freestyle, DJ, agente, produtor, promotor, editor. Se vivem aqui, é difícil não terem assistido a alguma coisa em que ele tenha estado envolvido; a Rita, após um percurso meio punk no teatro e artes de expressão corporal, após anos emigrada em Berlim, assume a paixão pelas suas raízes e, enquanto fazia entrevistas e escrevia notas biográficas para a compilação “Space Echo” (que a editora Analog Africa lançou com alinhamento feito por Celeste/Mariposa), já andava ocupada a avolumar a colecção de discos africanos, frequentemente resultado de terreno batido a aparecer na porta de pessoas, em trabalho de pesquisa e busca. Orienta os discos para a partilha numa pista de dança, esse é o contacto connosco.

Fotografia: Phyllis Galembo

DJ Carie

Loka viajante, decidiu ficar em Lisboa pelo amor ao idioma português, já há 3 anos. Carie é uma dj ecléctica e que dá valor às técnicas de mix. Com enorme experiência atrás dos pratos, adora viajar entre diferentes estilos musicais que tenham baterias, “breaks” ou congas : hiphop, tropical, bass music, breakbeats são as suas principais armas. Já tocou em muitos lugares do planeta mas nunca deixa de electrizar as pistas de dança. É também fundadora do colectivo que valoriza as mulheres nos pratos: Wicked girls, com uma residência trimestral em Lyon (la Maison mère) e Marselha (Cabaret Aléatoire) e da Radio Meuh, uma das maiores radio da França. Na sua residência mensal, de nome Itinéraires, Carie convida sempre um herói ou heroína de passagem para se juntar a si atrás dos decks.

ROSA CHOQ

Quem quer tirar a camisa ao som das novas sensações tropicalientes? Jorge Barata, Manel Seatra e Gonçalo Gomes vão subindo e descendo, vestindo e despindo, mostrando pêlo do peito e dançando para a frente e para trás. 
Se acham que conseguem não abanar o pacote escusam de marcar presença, Rosa Choq é amor em formato sonoro.

* O Salão está devidamente equipado com ar condicionado, contudo não nos responsabilizamos pela suadeira.

DJ Maboku

Seja como produtor ou atrás dos decks, DJ Maboku é exímio. O novo residente na nossa Casa tem-nos trazido o melhor da música de dança suburbana feita em Lisboa. Símbolo e bandeira da Príncipe Discos, Maboku consegue sempre surpreender cada vez que passa pelo nosso salão. Após vários anos a partilhar palcos com Lilocox na dupla CDM (Casa da Mãe), apresenta-se agora a solo, seja em passagens pelo Boiler Room, festivais ou festas nos subúrbios.

Fotografia: Marta Pina

João Gomes AKA Mad Faces

João Gomes, aka Mad Faces, é musico, dj, produtor, pai de família e amigo, ele é parte integrante da história e cultura musical deste país. Voltou a agitar a cidade de Lisboa e o mundo com o mais recente projecto Fogo-Fogo que ao contrário do que insinuam, já assina originais. Fez parte da formação que gravou em estúdio o novo álbum de Katuta Branca, juntamente com Nelson Costa (guitarra), Né (bateria), Zé di Donça (baixo), Emílio (ferrinho) e Katuta Branka (compositor, voz e gaita).

Marlon Branco

Marlon Branco é o culminar de vários anos de experimentação atrás de cabines entre vários projectos e géneros musicais diferentes, é também o amadurecer de uma presença atrás da cabine nos mais diversos ambientes. Encontrando heterónimo confortável onde consegue aglomerar, misturar e apurar todos os géneros e influências nos sets que vão do afro-house ao funk, do disco à bass music sem qualquer tipo de barreiras. Marlon joga na Casa sempre com uma camisola diferente e deixa-nos fazer parte do jogo.

Boda de Kambas

Boda de Kambas é a festa de amigos a cargo de Fella Ayala que acontece com frequência no palco do nosso Salão Tigre. Em formato de vinil explora ritmos afro, brasil, funk e world e traz consigo sempre um convidado diferente.

Sir Scratch

Scratch é uma figura incontornável do hip hop nacional. Quando toma de assalto o nosso salão, dispara dos decks o que de melhor o hip hop deu ao mundo. Uma visão pessoal sobre a cultura que o inspira, culmina numa lição de hip hop que é dada a partir do nosso palco.