Oficinas em Escolas Locais

Projecto de Intervenção Musical nas Escolas do 1º Ciclo

Está de momento (Ano lectivo 2015/2016) a decorrer na EB1 Sampaio Garrido e na Eb1 do Castelo o projecto: A Composição Musical na sala de aula da autoria de Teresa Aurora Gonçalves (Professora de Ensino Básico com especialização em Expressão Musical e o Curso de Canto do Conservatório Nacional). Consiste em actividades de improvisação individual e colectiva livres, e também segundo alguns modelos estruturados. São usados os conceitos básicos da música, segundo a sua integração curricular no 1º Ciclo. O ensino é centrado no aluno e no grupo, dando-se ênfase ao desenvolvimento das competências individuais. Pretende-se com este pequeno projecto desenvolver competências essenciais da Expressão Musical, como são o ouvir, interpretar, movimentar, improvisar e compor, como parte de um todo executante e vivencial.

 

 

Filosofia com Crianças

Os ateliers de Filosofia com Crianças decorreram entre Janeiro e Junho de 2015, com vários grupos/turmas das escolas na Casa Independente. A cargo de Rita Pedro (Mestre em Filosofia), estes ateliers tinham como principal objectivo proporcionar experiências filosóficas de forma regular a cada grupo/turma. Assente em princípios metodológicos que foram sendo delineados através de diversas experiências e pesquisas levadas a cabo pela própria no domínio da Filosofia com Criança, desde 2000. Não se tratava de seguir um modelo ou uma estrutura para ensinar as crianças a pensar, mas antes, à maneira dos artistas, de ir “compondo experiências filosóficas com as crianças”, partindo de interrogações metafísicas, ontológicas, existenciais e também sobre a ética e a estéticas. Nesta proposta, o pensar não remete para nenhuma técnica, não existem receitas que possam garantir “o bom funcionamento” do pensamento, mas é possível sugerir às crianças gestos e atitudes filosóficas que permitam criar as condições necessárias para cada uma delas poder expressar as suas inquietações, e para com o seu grupo/turma, lançar -se numa pesquisa colectiva de respostas à sua medida. Assim, trata –se de criar um espaço onde as interrogações que ocorrem na infância possam ser acolhidas e valorizadas, um lugar onde as ideias das crianças sejam escutadas sem serem julgadas ou avaliadas como certas ou erradas, e de abrir o pensamento para novas formas de pensar e ideias nunca antes pensadas.