Triplo Lançamento com Lucía Vives, Veenho e Migas + DJ Kerox | 04 de Março

A Xita Records prepara uma noite de tripla celebração. A Casa Independente acolhe o lançamento do primeiro EP de Lucía Vives, “Príncipe Real”, produzido por Luís Severo, do primeiro EP dos Veenho (com edição em cassete!) e do um single de Migas (kerox + primeira dama) – “Arroios Beauty”, ambos produzidos por Filipe Sambado. Nesta noite repleta de surpresas, vamos relembrar a luz de verão da Lucía, o poder do garage de Veenho e a Pop de Migas. Pós os concertos, Kerox em modo DJ Set continua a festa.
Temos muito a celebrar.

 


LUCÍA VIVES
Da série “cantautores da Xita Records” surge Lucía Vives, baterista e compositora das acutilastes Ninaz e de Vaiapraia & As Rainhas do Baile. A solo, Lucía escreve canções simples e ultradirectas, para cantar baixinho, de mãos dadas com quem mais gostamos. Lucía demonstra uma enorme queda para as letras, sempre carregadas de imagens fortes e palavras bonitas. Com duas músicas lançadas em compilações e splits da Xita, o seu primeiro EP “Príncipe Real” vem aí contando com a produção de Luís Severo. Façam silêncio e sorriam!

VEENHO
Foi numa garagem algures em Belém que os amigos António (na guitarra e na voz), Martim (na bateria), Tó Bea (na guitarra) e Xixo (no baixo) começaram a tocar de modo irregular durante o Inverno de 2014, como que a fingir que era Verão e estavam num moshpit suado do The Smell (Los Angeles) no mítico ano de 2009. No início do Verão de 2015, a banda começa a ensaiar frequentemente, surgindo o nome Veenho da união de conceitos como a vizinhança e a bebida sacra, que é da mesma homofonia. Entretanto, por casualidades da vida, Tó Bea acaba por abandonar o projecto, entrando Valera na guitarra. O som do grupo é militante do garage rock moderno de várias geografias, não fossem estes rapazes fãs de sonidos como Dead Ghosts, The Parrots, Os Passos Em Volta, Filipe Alvim ou Lê Almeida. Em Dezembro de 2015, gravaram em take directo, sob produção e alçada de Filipe Sambado, um EP de cinco faixas com títulos deliciosos como “Paracetamol” ou “Saideira”, sendo que a sua edição (em cassete, claro) é assumida pela frenética Xita Records.

MIGAS
são Manel Lourenço (Primeira Dama) e António Queiroz (Kerox), ou seja, são melhores amigos e fazem música. Produzem em palco doses prováveis de drum machines, teclas distorcidas e vozes repetidas em delays. A oscilação premeditada não afecta em nada a vontade, de em toada, cantar a muitas vozes. Não (se)pára..

 

++

entrada: 5€

 

Cartaz por Tomás Queiroz